Fantasia fraudulenta

 O William Lagos traduziu meu “Abismo poente” para o inglês. Um dia traduzirá para o espanhol também. Ele me manda toda semana vários sonetos. Eu disse a ele uma vez que leio tudo, mas às vezes não comento. O fato é que ele é muito bom,  manja de literatura como poucos, conhece profundamente vários idiomas e escreve pra caramba. Vou colocar uns versos dele pra vocês conhecerem.

Fantasia fraudulenta III

que seja a fraude, então, seu esplendor,
não mais que brincalhona fantasia.
(talvez somente em mim gere poesia,
no romantismo bobo deste ardor…)

antigamente, havia um copo multicor,
no qual apenas uísque se bebia
e a cada gole a figura se despia,
numa lascívia a demonstrar certo candor…

hoje se mostra tudo, em mais clareza
e os véus já se esgarçaram do mistério…
mas essa imagem não se desnudará

e se a gatinha a agatunhar, tenho certeza
de que este verso de puro despautério
só um mutilado cartão descreverá…

(William Lagos)

Anúncios