Livros

Estou me desfazendo de muitos dos meus livros, por questões de espaço. Não quero mais ficar guardando em casa milhares de livros que talvez nem eu leia. Mas os autografados, principalmente, levarei comigo.

 

Livro de Augusto de Campos, que ganhei recentemente.

 

Primeira edição de Feliz Ano Novo.

 

Primeira edição de "A lua vem da Ásia".

Novidades

Participar da antologia “Geração zero zero” não mudou em nada minha vida, como esperado. Acho que me isolo muito, mas esse sossego, essa paz… Não sei se posso abrir mão deles. O Enio, da ALAMI, está organizando em Ituiutaba uma Feira Literária, acho que é a primeira na história da cidade. Aguardo ansioso mais detalhes. Semana passada não fui para o lançamento do livro “Exercícios ilusórios”, do meu querido Osvaldo Rodrigues, o Osvaldinho Ludoman. Amanhã tem o lançamento de “Poemas perversos”, do amigo Celso de Alencar, no Lugar Pantemporâneo, em São Paulo. Também não poderei comparecer. Tudo porque Helena está para chegar e eu quero estar por perto quando isso acontecer. Meu livro saiu – ainda não vi, mas já deixou a gráfica. Lançamento em outubro, em São Paulo. Eu e Ronaldo Cagiano ganhamos o ProAC da Secretaria de Estado da Cultura, para editarmos nosso Moenda de silêncios. Tentaremos lançar o livro ainda este ano.

sol entre noites

Sinônimos

O mundo fascinante dos sinônimos

Tudo começou quando estava fora, para aquele minicurso. Uma das atividades propostas para a sala consistia em escrever um texto e, ao dar uma espiada no notebook do vizinho, em busca de inspiração, conheci uma ferramenta impressionante: o dicionário de sinônimos. Usando o OpenOffice (ou BrOffice), um editor de texto gratuito, o aluno ao lado clicava com o botão direito do mouse em cima de uma palavra e surgiam vários sinônimos. Depois de uma tal entrevista do Chico Buarque, os dicionários de sinônimos se tornaram objetos de luxo até nos sebos. As editoras perceberam, lançaram às pressas suas versões da ferramenta, em edições bem limitadas. Como utilizo o recurso desde antes da tal dica do Chico, não precisei pagar uma fortuna para ficar na moda. Tenho três dicionários, de autores diferentes. Um deles, o do Agenor Costa, atingiu preços inacreditáveis nas lojas de usados. Descobri recentemente uma versão online do dicionário do BrOffice: DicSin. Não é tão bom quanto um Agenor, mas dá para o gasto. A vantagem, é claro, está na rapidez da pesquisa – muito melhor deixar um software fazer o trabalho pesado do que ficar folheando um calhamaço embolorado. O fato é que para um escritor, um dicionário de sinônimos pode trazer novas possibilidades.

Duas imagens

Primeiro gostaria de falar sobre a Primavera dos Livros, que acontecerá em São Paulo no início de novembro. Este ano o evento será um pouco diferente – acontecerá em novo local e com maior quantidade de editoras. Depois vou postar aqui uma foto minha com a Ifinha, que é uma gata que adotamos lá no campus. Acabou de ter quatro filhotes e depois dessa estamos providenciando a castração. Ainda bem que todos os gatinhos já têm donos. É duro encontrar bichos mortos por aí, pelas ruas da cidade.

Eu e a gata Ifinha, ontem.

Primavera dos livros, em São Paulo.