Autran Dourado

Demorei a voltar aqui. Estava muito enrolado com alguns textos encomendados. Hoje recebi uma mensagem do meu amigo Ronaldo Cagiano. Era para eu ler uma entrevista do Autran Dourado, dada à Folha de SP faz alguns anos. É, realmente, muito boa. Eis um trecho que achei fantástico:

Folha – A erudição é necessária ao escritor?

Dourado – A erudição é acidental, embora seja uma coisa que se busque. Quando o autor está começando a escrever, não pode pensar em ninguém. Nem em outros autores nem em seu público, porque sequer consegue saber quem é seu público. O escritor é aquele solitário. Eu não sei qual é meu leitor e não me submeto à posição de procurá-lo.

É por isso que vejo com certo escândalo o que está acontecendo no Brasil: pessoas jovens que se iniciam na literatura e querem logo vender livro. Têm vocação de best-seller. São fabricantes de livro, e o livro que você vê não resultou de nenhum esforço maior, não correu nenhum sangue por ele. Isso não é ser escritor. Vender livro é um acidente na vida de um escritor.

Caso alguém se interesse, a entrevista completa está aqui.

Concordo com ele que a venda é um acidente necessário, assim como o reconhecimento. Mais feliz ainda é aquele escritor que se contenta com seu próprio esforço. Algo como a satisfação de ter feito um bom trabalho. Mas andei pensando que essa história de reconhecimento depois da morte não vale nada. Alguém por acaso considera, de verdade, que Machado de Assis ou Clarice Lispector ou Guimarães Rosa estão lucrando com o sucesso, em pleno 2012, com traduções mundo afora?

Diário do nascimento

Minha crônica dominical está no ar. Aqui.

Lançamento no Canto Madalena

Foi bacana conhecer tanta gente com quem me correspondia há anos e anos. E também vou voltar a escrever crônicas para o Crônica do Dia. Depois de mais de dez anos afastado. Bom, bom… Vamos às fotos.

As duas Carlas - Cintia Conteiro, em primeiro plano. Ao fundo Dias. Não paravam de assinar.

 

As Carlas e depois Claudia Letti.

 

Casa cheia.

 

Eu, Carla Dias e Eduardo Loureiro Jr., o idealizador de tudo.

 

Eduardo faz um pronunciamento.

 

Eu, a atriz Christiane Tricerri e o escritor Osvaldo Rodrigues. Finalzinho de festa.

 

Agora, próximo lançamento dia 10 de novembro, no Rio de Janeiro. Já já eu posto aqui o convite.

Catarse

Eu achei bem legal esta página de apoios a projetos. O Eduardo Loureiro Jr, que idealizou  o “Crônica do dia” resolveu publicar a primeira antologia de crônicas dos colaboradores do site. Se você quiser dar uma força ao livro, basta visitar o Catarse.