Séries

Todo final de semana, eu me sento em frente à televisão para colocar em dia as séries que curto. Recomendo todas, como poderão ver pelo meu entusiasmo a seguir.

 

Dexter

Essa série já vai pra sexta temporada e é sobre um serial killer que trabalha para a polícia, fazendo análises de sangue. Claro que ele não é um assassino como os demais. Como seu pai também era um policial e sabia de suas aptidões, inventou um código de honra e treinou Dexter para matar somente bandidos. Até aí tudo parece clichê, não é mesmo? Mas não é bem assim. A trama se passa em uma Miami em que os latinos têm muito poder e costumam se proteger dos nativos. Fico sempre torcendo pro Dexter se safar, mesmo sabendo que ele é um bandido. Os roteiros são muito criativos, cheios de viravoltas e quase sempre a gente fica se perguntando se, na vida real, existe um sujeito com tanta sorte quanto esse Dexter. Destaque para a irmã do serial, a Debra, que, de cada cinco palavras que pronuncia, solta quatro palavrões e para o investigador Vince Masuka, um japonês muito estranho.

 

The middle

Esta é uma comédia sobre uma família peculiar. Está na segunda temporada e, pelo menos para mim, o destaque é o Brick, um menino de sete anos, mais ou menos, muito inteligente, que tem dificuldades de se integrar à sociedade. Mike e Frankie são os pais de Brick e também de Sue e Axl. Axl é o bonitão burro, que se dá bem nos esportes e Sue é a feia e ingênua que quer ter uma adolescência inesquecível. Eu morro de rir com o Brick, principalmente quando ele tenta fazer amigos e não consegue. Mas é legal também quando está em algum lugar sem nenhum livro por perto e é obrigado a ler qualquer coisa ao seu alcance.

 

Modern Family

Essa série de comédia está na segunda temporada também e tem algo que a diferencia das outras: não tem aquelas risadas de fundo após cada piada. Ou seja: eu não sou forçado a rir quando não acho algo realmente engraçado. É sobre três famílias modernas: um casal de gays que adota uma criança asiática, um senhor que se casa com uma colombiana gostosa e uma loira, seu marido meio bobo e os três filhos. É claro que o título é uma ironia, porque, no final é óbvio que as famílias são muito tradicionais e cheias de preconceitos. Mas as piadas são ótimas e  Jesse Tyler Ferguson, que interpreta o afilhado gordinho do veterano Ed O’Neill, está arrebentando.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s