Leituras

O primeiro homem

Sempre um homem é o primeiro homem. Porque o seu mundo é a reinvenção do mundo, a sua voz uma voz original. Que nessa voz ressoem outras vozes: se ela é autêntica, é nova, como se nascida no sangue. Daí a interrogação com que olhamos os jovens, a expectativa com que ouvimos um novo escritor: que notícia nos traz? que mundo nos inventou? que espelho há nele do nosso? que humildade nos impõe ao orgulho do que conquistámos?


Início do prefácio de Vergílio Ferreira para o livro “Rumor branco”, de Almeida Faria.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s